quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Guardian: Nova York desinveste dos combustíveis fósseis e processa petroleiras!

Nova York planeja desinvestir US $ 5 bilhões dos combustíveis fósseis e processar empresas petrolíferas

Prefeito Bill de Blasio: "Cabe às empresas de combustíveis fósseis, cuja ganância nos colocou nesta posição, arcar com o custo de tornar Nova York mais segura e mais resiliente"

Link original: 
https://www.theguardian.com/us-news/2018/jan/10/new-york-city-plans-to-divest-5bn-from-fossil-fuels-and-sue-oil-companies

A cidade de Nova York está tentando liderar um ataque às mudanças climáticas e à administração do Trump com um plano de desinvestir US$5 bilhões dos combustíveis fósseis e processar as empresas petrolíferas mais poderosas do mundo por sua contribuição para o aquecimento global perigoso.


Os funcionários da cidade estabeleceram o objetivo de retirar os fundos de pensão de US$ 189 bilhões de Nova York das empresas de combustíveis fósseis dentro de cinco anos no que dizem estar "entre os esforços de desinvestimento mais significativos do mundo até hoje". Atualmente, os cinco fundos de pensão da cidade de Nova York têm cerca de US$ 5 bilhões de investimentos em combustíveis fósseis. O estado de Nova York já anunciou que está examinando como também desinvestir dos combustíveis fósseis.
Prefeito Bill de Blasio
"A cidade de Nova York está em defesa das gerações futuras, tornando-se a primeira grande cidade dos EUA a alienar nossos fundos de pensão dos combustíveis fósseis", disse Bill de Blasio, prefeito de Nova York.
"Ao mesmo tempo, estamos trazendo a luta contra as mudanças climáticas diretamente para as empresas de combustíveis fósseis que conheciam seus efeitos e intencionalmente manipularam o público para proteger seus lucros. À medida que as mudanças climáticas continuam a piorar, cabe às empresas de combustíveis fósseis, cujo lucro nos colocou nesta situação, arcar com o custo de tornar Nova York mais segura e mais resiliente ".
De Blasio disse que a cidade está levando as cinco empresas de combustíveis fósseis - BP, Exxon Mobil, Chevron , ConocoPhillips e Shell - para a corte federal, devido à contribuição delas para a mudança climática.
Os documentos do processo afirmam que Nova York sofreu inundações e erosão devido às mudanças climáticas e, devido às ameaças futuras que estão colocadas, procura "devolver os custos de proteger a cidade dos impactos das mudanças climáticas para as empresas que fizeram quase tudo o que podiam para criar esta ameaça existencial".
A declaração afirma que apenas 100 empresas de combustíveis fósseis são responsáveis ​​por quase dois terços de todas as emissões de gases de efeito estufa desde a revolução industrial, com as cinco empresas processadas sendo as maiores contribuintes.
O caso também terá como objetivo denunciar que empresas como a Exxon conheciam o impacto das mudanças climáticas durante décadas, ao mesmo tempo em que o minimizavam e até mesmo negavam em público. O procurador-geral de Nova York, Eric Schneiderman, está investigando a Exxon sobre esta suposta fraude.
Nova York foi atingida pelo furacão Sandy em 2012 e enfrenta custos que aumentaram em dezenas de bilhões de dólares, a fim de proteger as áreas baixas, como a parte baixa de Manhattan e a área ao redor do aeroporto JFK, inundadas por mais tempestades severas alimentadas pelo aumento do mar níveis e aquecimento atmosférico. O escritório de De Blasio disse que a mudança climática é "talvez o desafio mais difícil que a cidade de Nova York enfrentará nas próximas décadas".
O processo de Nova York ecoa um esforço semelhante na costa oeste, onde dois condados da Califórnia e uma cidade estão processando 37 empresas de combustíveis fósseis por emitir níveis perigosos de gases de efeito estufa. Uma dessas empresas, a Exxon, reclamou que foi alvo de uma "mistura de interesses escusos e políticos oportunistas" como parte de uma "conspiração" para forçar a empresa a cumprir diversos objetivos políticos.
A ação legal e o desinvestimento talvez tracem a linha divisória mais nítida entre Nova York e a administração Trump sobre as mudanças climáticas. Sob Trump, o governo federal tentou retirar os EUA dos acordos climáticos de Paris, derrubar as políticas climáticas assinadas por Barack Obama e abrir vastas áreas de terras e águas dos Estados Unidos para exploração de carvão, petróleo e gás.
De Blasio e o corregedor da cidade, Scott Stringer, foram pressionados durante vários anos por ativistas para retirarem os fundos de pensão de Nova York de qualquer ligação com os combustíveis fósseis, com alguns ambientalistas alegando que a cidade estava sendo muito lenta para usar sua influência para combater as mudanças climáticas.
Stringer admitiu que o desinvestimento será "complexo" e levará algum tempo, mas disse que os fundos de pensão da cidade poderiam promover a sustentabilidade, além de proteger a aposentadoria dos professores, policiais e outros trabalhadores da cidade.
"A cidade de Nova York hoje se torna uma capital da luta contra as mudanças climáticas neste planeta", disse Bill McKibben, co-fundador do grupo climático 350.org.
"Com suas comunidades excepcionalmente vulneráveis ​​a um aumento do mar, a cidade está mostrando o espírito pelo qual é famoso: não está fingindo que trabalhar com as empresas de combustíveis fósseis de alguma forma salvará o dia, mas, em vez disso, as enfrenta, nos mercados financeiros e nos tribunais."
Christiana Figueres, ex-chefe do clima da ONU e arquiteta do acordo climático de Paris, acrescentou: "A transição exponencial para uma economia livre de combustíveis fósseis não pode ser parada e os governos locais têm um papel crítico a desempenhar. Não há tempo a perder.
"Portanto, é extremamente encorajador ver a prefeitura de Nova York assumir esta posição hoje, para proteger sua cidade e exercer seu papel como investidores, de proteger seus beneficiários do risco climático".
Nova York se junta a cidades como Washington DC e Cidade do Cabo no desinvestimento, juntamente com universidades como Stanford na Califórnia e Oxford no Reino Unido. O Fundo Irmãos Rockefeller, notável por seus vínculos com a riqueza do petróleo no passado de John D Rockefeller, também procura desinvestir.

Um comentário:

  1. Que a indústria do petróleo seja tratada como a indústria do cigarro.

    ResponderExcluir

O ninho do Antropoceno e os ovos do fascismo

20 dias após a execução brutal de Marielle Franco , a ferida aberta na sociedade brasileira se recusa a fechar. Pelo contrário, sangra ma...

Mais populares este mês